25/05/2024

Lauro de Freitas Informa

Notícias de Lauro de Freitas

Governo do Estado oferta mais de 69% das mamografias em Salvador; dado ainda não contabiliza Feiras de Saúde e ações do Outubro Rosa

2 min read

Mais de 69% dos exames de mamografia feitos pelo Sistema único de Saúde (SUS) na capital baiana em 2023 foram em unidades estaduais. O dado do Ministério da Saúde, extraído nesta terça-feira (3), reflete a presença do Governo do Estado na oferta de serviços para as soteropolitanas e não contabiliza as ações em curso do Outubro Rosa, nem as ações itinerantes estaduais.

Dos 16.123 exames de mamografia realizados em 2023, 11.172 foram feitos na Policlínica de Escada, no Centro Estadual de Oncologia e no Hospital Estadual da Mulher. “É impressionante a produção das unidades estaduais, pois das 17 existentes que realizam mamografia, 12 estão sob gestão municipal, sendo que algumas delas nem contabilizam dez procedimentos no ano”, indica a secretária da Saúde do Estado, Roberta Santana.

Durante o mês de outubro, uma ação do Governo do Estado de sensibilização e estímulo à detecção precoce do câncer de mama levará mulheres de 40 a 69 anos a fazerem cerca de 24 mil mamografias, sendo 20 mil apenas na capital. Com o início da ação estadual em 1º de outubro, as vagas foram rapidamente preenchidas, demonstrando a carência e a falta de acesso na rede municipal. A decisão estadual foi abrir 3.750 novas vagas, que assim como as anteriores, são 100% agendadas pelo site http://outubrorosa.saude.ba.gov.br.

Em outra iniciativa estadual, unidades móveis itinerantes realizaram 1.643 exames de mamografia durante as Feiras de Saúde realizadas na capital baiana ao longo do ano, tais como Março Mulher e Pessoa Idosa, ambas na Arena Fonte Nova.

Estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca) apontam que em 2023, o número de novos casos de câncer de mama no Brasil seja de 73.610. Na Bahia, a estimativa é de 4.230. Segundo a secretária da Saúde do Estado, “a principal causa de morte por câncer entre mulheres se dá pelo câncer de mama e o diagnóstico precoce pode levar à cura em 90% dos casos. Além disso, quando precocemente descoberto pode-se evitar o procedimento cirúrgico de retirar a mama por completo ou ainda evitar procedimentos complementares como quimioterapia ou radioterapia, aumentando a sobrevida dessas pacientes e reduzindo a morbidade”, ressalta Roberta Santana.

Ações itinerantes

Uma ação consolidada no rastreamento do câncer de mama é a estratégia itinerante. Na última década, as unidades móveis da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) estiveram nos 417 municípios, tendo realizado cerca de 1 milhão mamografias bilaterais e 82 mil ultrassonografias. “O cuidado com a saúde feminina deve ocorrer o ano todo, não apenas no mês de outubro. Os municípios também devem ofertar exames ao longo do ano. Somente em 2023, essas ações fizeram 64.771 exames”, explica a secretária.

Fonte: Ascom/Sesab

Deixe seu comentário
Compartilhe