15 de junho de 2021

Lauro de Freitas Informa

Notícias de Lauro de Freitas

Pescadores afetados por manchas de óleo vão receber seguro defeso em novembro

60 mil pescadores do Nordeste vão receber, em novembro, o pagamento de um mês extra do seguro defeso. O valor corresponde a um salário mínimo e custará aos cofres públicos R$ 59 milhões.


A medida visa auxiliar os trabalhadores das regiões afetadas pelo derramamento de óleo nas praias do Nordeste. Só terão direito ao benefício, os pescadores que atuam no mar.


O secretário de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Júnior, pede que o pescador aguarde o depósito do seguro.


“O pescador pode ficar tranquilo, não precisa de nenhum ato. Simplesmente aguarde que estamos construindo, e dentro do mês de novembro, ainda não sei precisar a data, será depositada uma parcela na mesma conta que ele já recebe o seguro defeso”.


Mais cedo o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, sobrevoou de helicóptero a praia de Boa Viagem, em Pernambuco, e viu de perto os trabalhos de remoção do óleo.


De acordo com o ministro, o plano de contingência feito pelo governo federal está sendo cumprido. Agora, com o reforço de cinco mil homens do Exército.


“Nós não julgávamos que fosse necessário empregar o Exército. Quando precisou, empregamos. Quando as manchas saíram de Salvador, recrudesceu, chegaram em Pernambuco, aí sim. Por causa da imprevisibilidade dos locais onde as manchas aparecem. Nossa dificuldade é essa”.


Segundo dados do Ibama, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente, as primeiras manchas de óleo foram identificadas no fim de agosto, no litoral da Paraíba. O instituto já contabilizou 200 regiões afetadas em nove estados brasileiros.


Em nota, o Ibama informou que continua a realizar o estudo do impacto ambiental na região, e utiliza barreiras de contenção para evitar a dispersão do óleo.


Já a investigação da origem do produto é conduzida pela Marinha que, junto com a Polícia Federal, notificou 30 navios-tanque de 10 diferentes bandeiras a prestarem esclarecimentos.

Reprodução/ EBC

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta