ter. out 27th, 2020

Lauro de Freitas Informa

Imparcialidade mostrando a verdade

Empresário do ramo alimentício inicia ”campanha” eleitoral em Lauro de Freitas

Há 11 meses para as eleições de 2020, o empresário do ramo alimentício em Lauro de Freitas Sr. Teobaldo Costa, já iniciou sua ”campanha” pelo Município. Em panfletos que estão sendo entregues nas residências de Itinga, o empresário se apresentou e disse estar cansado da velha politica e decidiu dar sua contribuição a sociedade informando sua Pré-candidatura a Prefeitura juntamente com o Sr. Mateus Reis.

No panfleto, Teobaldo contou sua história como empresário dizendo que já foi feirante, pedreiro, cobrador de ônibus dentre outros e fez promessas dizendo que quer investir na educação em tempo integral, garantir vagas em creches dentre outras.

”Conforme o empresário, ele está a um ano caminhando pelos Bairros da Cidade juntamente com o então anunciado por ele Pré-candidato Mateus Reis, conversando com os moradores para saber das suas reais necessidades”.

Em conversa com moradores de Itinga Um deles nos informou, ”Ele é uma pessoa maravilhosa, um homem de bom coração, pois dias antes de vencer ele doa os produtos do Mercado para nós”.

Destacando que o empresário esta sorrateiramente distribuindo seu material e fazendo sua ”campanha” em comunidades pobres, com isso fazendo da justiça eleitoral o quer e se sobrepondo sobre as leis, tirando o direitos de outros a participarem do pleito, e ainda convida os ”eleitores” a segui-lo nas redes sociais.

Conforme o Tribunal Superior Eleitoral TSE, a propaganda eleitoral permitida pode ser divulgada a partir do dia 5 de julho do ano eleitoral. Essa data tem seu motivo, ao passo que até esse momento são feitos os procedimentos de escolha e registro de candidatos. Dessa forma, o legislador optou por permitir a propaganda eleitoral exclusivamente após não faltar mais candidato a ser registrado.

Ainda conforme o TSE, a finalidade da proibição da propaganda extemporânea é evitar o desequilíbrio e a falta de isonomia nas campanhas eleitorais. Os candidatos devem ser tratados igualmente. Portanto, perante a legislação eleitoral, não é aceitável que alguns possam divulgar suas propagandas antes mesmo que outros tenham se registrado como candidatos.

Isto mostra que quem manda é o dinheiro, pois os futuros pré candidatos que irão cumprir o que a lei determina já começam em desvantagem.

Cade o MP?

Deixe seu comentário