15 de junho de 2021

Lauro de Freitas Informa

Notícias de Lauro de Freitas

Depois de vacinar gestantes e puérperas, Lauro de Freitas suspende imunização até a chegada de novas doses

Depois de vacinar gestantes e puérperas contra a Covid-19 nesta segunda-feira (07), Lauro de Freitas suspende a aplicação nesta terça-feira (08). O município aguarda agora a chegada de novos lotes do imunizante para retomar a vacinação.

Sem filas, o ponto para aplicação das doses, exclusivamente para gestantes e puérperas, foi a faculdade Unime. Seja no drive ou nas salas reservadas para quem veio se vacinar a pé, a imunização respeitou os critérios sanitários para evitar a contaminação pelo vírus, como o distanciamento de mais de um metro entre as pessoas e a disponibilização de totens com álcool gel 70%.

Enquanto aguardavam sua vez de receber a dose da proteção, as histórias sobre maternidade se entrelaçavam. Entre os relatos, a gestante de 14 semanas, Carol Lopes, lembrou do desafio enfrentado em sua primeira gravidez com o surto da Zika e que acreditava que o segundo filho seria uma gestação mais tranquila. “Estamos aqui lutando contra tudo isso, com coragem e amor. Me cuido por mim e por ele. O mais importante é sair daqui hoje vacinada”, falou.

Para o casal Michel e Vanessa Nascimento a emoção estava à flor da pele. “Estava ansiosíssima por este momento. Sou secretária executiva e desde a descoberta da gestação tenho trabalhado de forma remota para tentar me proteger da pandemia. É um alívio muito grande ser vacinada hoje e agradeço o cuidado da gestão por reservar a Pfizer para nós”, falou.

Apesar de terem iniciado o processo de imunização, concluído com duas doses da vacina, as mães e futuras mães foram unânimes em afirmar que os cuidados para se proteger da doença serão os mesmos. “Não podemos relaxar, são muitas vidas que já foram perdidas por causa da Covid-19. Desejo que todos sejam logo vacinados”, disse a gestante Daniela Souza.

Para serem vacinadas, além de documento oficial de identificação com foto, cartão SUS e comprovante de residência, as gestantes e puérperas precisam apresentar laudo médico (cópia e original) contendo a liberação para a aplicação da dose.

A enfermeira Rosana Baqueiro alerta para a necessidade de apresentar a documentação completa. “O laudo é de suma importância porque atesta que aquela pessoa não tem nenhum empecilho ligado a sua saúde que a impeça de ser vacinada. Isso somente um médico pode atestar”, explicou.

Por Giovanna Reyner/PMLF

Deixe seu comentário